Alimentação Saudável: dicas para ajudar seu filho a adquirir bons hábitos alimentares

Alimentação Saudável Prígule

Todo pai sonha que seus filhos cresçam sadios, fortes e inteligentes, não é mesmo? Este sonho pode ser realizado, através de uma alimentação saudável e balanceada. Bons hábitos alimentares são fundamentais para terem força e vitalidade, afinal, os nutrientes dos alimentos ajudam efetivamente no crescimento das crianças além de interferirem no seu desenvolvimento cognitivo e físico.

Dica 1: Reconheça a importância da alimentação saudável na vida da criança

A boa alimentação tem sido negligenciada com o aumento no consumo de comidas práticas, industrializadas, calóricas e prejudiciais à saúde. O tipo de alimento compromete a imunidade das crianças, pode provocar alergias, além de causar problemas sérios como, por exemplo, a obesidade infantil.

Estimular as crianças a comerem bem é reconhecer a importância da alimentação saudável e priorizá-la no dia a dia, nesse sentido, diminuir o consumo de guloseimas, frituras, refrigerantes e embutidos é essencial.

Incentive a inclusão de alimentos saudáveis no cardápio, por exemplo:

  • Frutas
  • Verduras
  • Legumes
  • Oleaginosas
  • Laticínios
  • Iogurtes
  • Queijos magros

DICA 2: Dê o exemplo antes de cobrar dos seus filhos

Exemplos inspiram e convencem mais do que as palavras. Portanto, não basta falar para o seu filho que ele precisa comer determinado alimento, se você mesmo não o come.

Reprodução de um prato criativo para incentivo a alimentação saudável.
Fonte: Reprodução da Internet

DICA 3: Prepare pratos divertidos e atrativos

Em primeiro lugar, as crianças comem com os olhos.

Nesse sentido, aposte em pratos divertidos e coloridos, preparados com ingredientes que eles gostam. Por exemplo: envolva as crianças no preparo de receitas simples, bem como, recheios de pizzas e decoração de bolos e biscoitos, sempre com a sua supervisão;

Corte os vegetais em formatos de bichinhos, faça desenhos nos sanduíches, crie receitas lúdicas e misture alimentos de cores e texturas variadas;

Dica 4: Não force a barra

Seja como for, nada de obrigar as crianças a comerem alimentos que elas não curtem.

Às vezes, a atitude pode aumentar a resistência e repulsa dos pequenos em relação à comida, por isso, insira os alimentos aos poucos e de diferentes formas, por exemplo: no suco, no caldo, no sanduíche, in natura, na salada ou combinado com outros pratos.

Contudo, caso a criança não goste do sabor, troque esse alimento por outro nutricionalmente parecido.

DICA 5: Incentive as crianças a apreciarem o sabor natural dos alimentos

O paladar infantil é bem diferente do paladar dos adultos, que já está transformado de acordo com os seus hábitos alimentares. Por isso, a importância de inserir alimentos variados no cardápio, com todos os macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) e micronutrientes (sais minerais e vitaminas) necessários.

O ideal é que a alimentação das crianças seja o mais natural possível!

Lembre-se: grandes conquistas são resultados de pequenas ações. Para um maratonista completar a prova de 40k, ele precisou iniciar vencendo uma corrida de 1.000 metros! Então, comece com pequenas ações, mas persista, tenha constância, foco e, o principal de tudo, acredite que todas as mudanças que você quer ou precisar fazer são para a sua saúde e bem estar e de sua família!

Marlete Barreto
Nutricionista
CRN3 50886

Gostou? Compartilhe com seus amigos

Mais para explorar

Psicologia

Bate-Papo com a Psicóloga: Concentração

Olá! Tudo bem com vocês?! Espero que sim!! Começo esse “Bate papo” perguntando: vocês têm percebido se estão mais concentrados, focados nas atividades ou se